É Notícia

Malhação em turma, ao ar livre e mais 3 tendências de fitness que vão

www.claudia.com.br

O empurrãozinho que você precisava para seguir firme na academia este ano pode vir daí. A sua beleza agradece!

Desde 2006, a American College of Sports Medicine, maior organização de medicina esportiva do mundo, faz um levantamento do que está bombando no mundo fitness. Apontou e acertou, por exemplo, o boom do pilates em 2008. No ano passado, com a ajuda de 2 620 profissionais de diversas áreas ligadas ao esporte, de médicos a treinadores e donos de academias, chegou aos 20 movimentos que serão superpopulares neste ano. Liderada por Walter R. Thompson, professor de ciência do esporte da Universidade Estadual da Geórgia, a pesquisa foi publicada no periódico americano ACSM’s Health & Fitness em dezembro do ano passado. Conheça as cinco tendências mais bacanas e com potencial para estar entre as suas favoritas.

1- Malhação em turma
“Nossa sociedade, cada vez mais conectada pela internet, está precisando de contato olho no olho”, afirma Cynthia de Almeida, coordenadora do Movimento Habla, da Editora Abril, e colunista de Claudia. Para muita gente, o momento de encontros virou também hora de se exercitar – seja na casa das amigas, seja na academia do prédio, sob a supervisão de um personal trainer. Renato Carvalho, da assessoria esportiva Run&Fun, em São Paulo, acredita que o movimento tem tudo para virar mania. “Treinar dessa forma é muito mais cômodo, pois não existe preocupação com trânsito ou segurança.” O fisiologista do exercício José Rubens D’Elia defende que o ambiente familiar também ajuda. “O clima fica descontraído, um incentivo para continuar a malhar.”

2- Atividades para 50+
Segundo o relatório do Banco Mundial de 2011, o Brasil terá 64 milhões de idosos em 2050, quatro vezes mais do que hoje. Cresce também a demanda por produtos e serviços para essa faixa etária. “As pessoas estão chegando aos 50 ou 60 anos com mais qualidade de vida e mais conscientes de que precisam investir na saúde e no bem-estar”, explica Mauro Guiselini, criador de um programa direcionado a idosos, o Runner Vitalidade, da Academia Runner, em São Paulo. A Bio Ritmo também tem um programa, o Bio Master, para quem já passou dos 60. Em ambos os casos, misturam-se exercícios aeróbicos, de força e funcionais. “Os alunos fazem amizades e sentem-se incluídos em um novo grupo. Isso é importantíssimo, pois até pouco tempo atrás esses espaços eram vistos pelos mais velhos como hostis”, diz Tavicco Moscatello, diretor pedagógico da Fitness Brasil, instituto que organiza a maior feira de fitness do país. Mauro ainda defende que os benefícios são bons estímulos intelectuais, postergando os sinais da idade.

3 - Esporte em alta
Em ano de olimpíada, aumenta o interesse por atividades físicas que vão além da musculação. “A empolgação está abrindo novas possibilidades para esportes menos populares”, afirma Lucas Liedke, diretor do núcleo de tendências da agência de pesquisas Box 1824, em São Paulo. Vôlei, basquete e lutas tendem a ganhar mais espaço na nossa rotina de malhação. Na Pelé Club, em Belo horizonte, o educador físico Diego Sanches desenvolveu uma aula com base nos movimentos do MMA (Mixed Martial Arts), a MMF (Mixed Martial Fitness). Para quem prefere esportes em grupo, a Runner Club, em São Paulo, tem aulas de futsal, vôlei – na quadra e na areia – e basquete. Segundo José Rubens D’Elia, investir na prática de um esporte diminui o risco de desistência. “Você se envolve, pois tenta se superar a cada aula, espanta a monotonia do treino e ainda interage com outros participantes. É uma atividade completa.”

4 - Feliz em primeiro lugar
“As pessoas estão adquirindo a consciência de cultivar a beleza de dentro para fora, sem se submeter a padrões estéticos e respeitando seus limites”, acredita Ruth Marshall-Johnson, editora de comportamento do WGSN, empresa de pesquisa de tendências mundiais. A preocupação com corpo e mente saudáveis fez surgir um novo profissional, o coach de bem-estar, responsável por cuidar de todos os aspectos da vida (física, nutricional e emocionalmente falando). É esse o trabalho da educadora física Carla Lubisco, de Porto Alegre. Depois de avaliar o cliente, ela convoca nutricionistas, psicólogos, personal trainers e médicos para reeducá-lo. “A ideia é ajudar a pessoa a cuidar mais de si mesma e fazê-la entender do que precisa para se manter feliz.” Mas esteja disposta a se expor. O coach desvenda hábitos do sono, pergunta sobre relações amorosas e familiares e pode até visitar a sua casa ou o seu escritório.

5 - Vida ao ar livre
Parques, praças e calçadões prometem ficar cada vez mais lotados de gente que adora se exercitar a céu aberto. “A rigor, o esforço é o mesmo, mas a mudança de ambiente estimula outras sensações. Você escapa das obrigações e adentra o território do prazer”, diz Celia Belem, socióloga, de São Paulo. Essa é a missão do Projeto Mulher, em São Paulo, que promove encontros em parques, praças e clubes para fazer exercícios e acompanhamento nutricional. As academias também já adaptaram as aulas para ambientes externos. A Competition, em parceria com a assessoria esportiva 4any1, ambas em São Paulo, lançou o programa outdoor, com grupos de corrida e bike em parques. “As pessoas estão participando mais de provas e maratonas de rua, então preferem treinar em lugares abertos”, acrescenta Cybeli Corsine, personal trainer da academia.